O fantasma da meia noite. Parte II Final.

— O que é você? – Fora estranho o modo como perguntei, pois ainda extasiada, eu me aproximei da figura encantadora a minha frente.

— Eu era como você: Tão jovem, saudável, tinha sede de viver, mas um clarão me cobriu enquanto eu voltava da festa de formatura do último ano do ensino médio. E quando eu me acostumara a viver parado, observando cada passo seu, eu cai. – Ele se aproximou, e encostou suas mãos frias em meu rosto, e então eu pude apreciar de perto o brilho que o rodeava.

— O que é você? – repeti. Mas desta vez, lúcida.

— Jura não correr, nem gritar, nem me bater – mesmo eu não sentindo nada? – Ele fez, recuando.

— Pode confiar. – Assegurei. Mas eu temia sua resposta, pois em minha mente haviam duas, porém, uma me encantava, outra me assustava.

Soltei um grito entre os dentes ao ouvi-lo pronunciar tão seguro a palavra fantasma. Aquela figura a minha frente que mais parecia um anjo de tão encantador que era, não era anjo, como eu supunha em primeira opção, ele era a minha segunda opção: um fantasma. Um fantasma que aparecera para mim de maneira singela, cautelosa, evitando com que eu me assustasse. Ao contrário do que alguns contistas e escritores relatavam em seus contos de terror.

Você me vê porque eu quero que me veja, porque é você a quem eu protejo. – Ele adicionou quando percebeu minha expressão.

Ele não pode ficar como eu havia pedido. Já se aproximava da uma da manhã, e seu tempo limite estava próximo. Mas eu tanto gostara de conversar com ele, tanto gostara de admirar aqueles olhos dourados fascinantes. Ele não parecia nada com um fantasma, e aquele brilho envolto de si podia fazer qualquer um confundi-lo com um anjo, perante a tanta beleza. Pensei em perguntar porque não podia ficar e conversar mais, mas, embora eu tanto desejasse a uma resposta, me contive. As histórias que ele contava do que via lá do céu me deixavam entretida, embora, não só suas histórias, mas seus olhos feito barras de ouro também contribuíssem com isso.

O nomeei como o fantasma da meia noite. O fantasma que me protegia mais parecendo meu anjo da guarda. Depois de sua partida, voltei a biblioteca, peguei o caderno da aula da manhã, segurei firme a caneta prateada presa a mesa de documentos, e iniciei a escrever o que provaria a mim mesma, se um dia viesse a esquecer, que estivesse na presença de um fantasma, apreciei seus lindos olhos, ouvi de sua doce voz, descobri que era protegida pela mais bela das criaturas, e confirmei  que fantasmas não são ruins, pelo contrário, são apenas uma nova forma de sua vida passada.


O fantasma da meia noite. Parte I 

Espero que tenham gostado.

Comente com o facebook:
De todos os anos, vinte e um invernos e uma vida inteira para concretizar tantos sonhos e anseios. De quatro estações, a mais fria é a que mais me aquece. De todas as artes, a escrita. De todos os lares, o coração. De todos os sentimentos, o amor.
Posts published: 149

22 comments

  1. Tania Girl disse:

    Adorei!!!!!!!!!!!!!!
    Muito legal!!!!
    Seu blog é lindo… tudo perfeito d++++++++++
    bjuuuuuuu
    ps:obrigada pelo comentário no meu blog, volte sempre!!!!rsrsrsrsrsrsrs…

  2. # Louis disse:

    Não temo! Existem? Tantas coisas existem e mesmo desconhecidas eu não as temos. apenas tento as compreender. acredito que tudo depende de nós e dos nossos olhos. meus olhos. só enchergar o melhor que tudo oferece! Fantasmas? Procurando a paz no infinito e às vezes dentro de nós.

    – Obrigado pelo comentário! Seja bem vinda ao blog. Gostei demais daqui. e de cara o seu post me cativou. TO SEGUINDO 😉

  3. Cadinho RoCo disse:

    Nõs é que damos aos fantasmas a conotação de bons ou ruins.
    Cadinho RoCo

  4. Muito perfeito, me apaixonei pelo teu fantasma *-*

  5. Fernanda disse:

    Eu gostei e olha que morro de medo de fantasmas,se eu fosse ela quando ele dissesse que era um fantasma eu sairia correndo…e vc é uma escritora espetacular,linda estória.

  6. Fernanda disse:

    ps: to seguindo também obrigada por seguir o liberdade!

  7. Beto Moura. disse:

    Bruna, você arrazou escrevendo *-
    Muito perfeito seu conto, e bem chamativo, bem cativante. Quando eu vi o título achei meio clichê, mas sem comentários, ficou super ótimo. E o fim também é surpreendente, porque eu achei que ele ia fazer algum mal, mas não, ele é um fantasma simpático *-
    Escreva mais e mais, quero lê-la sempre *-

  8. Insights disse:

    adorei seu booog, lindo lindo, lindo demais! mesmo! parabéeeeeeeens. To te seguindo, ok ?

  9. Duanny!. disse:

    adorei!
    você realmente escreve bem, moça!

    😉

  10. Solange Maia disse:

    gostoso esse seu escrever…
    diferente…

    adorei.
    parabéns, viu ?

    beijossssss

  11. Mayla disse:

    Adorei o final da história! Mto legal!Vc escreve mesmo bem.
    Bjos
    Mah

  12. Thiagaum disse:

    Ownt, gostei muito da história, e do layout do teu blog *—-*

    Bjs

  13. Aline Morais disse:

    E era uma vez sonhar…
    simplesmente lindo teu blog!
    Amei!!
    Sonhos são importantes 😉

    te seguindo por aqui.

  14. Bru disse:

    Tá rolando um sorteio super bacana no blog!
    Da uma olhadinha!
    Quem ajuda a divulgar tem mais chances de ganhar!
    Boa sorte! :**

  15. Myÿ h disse:

    Adorei o conto! Adoro conto de fantasmas 🙂
    Tô lendo a coleção da "Mediadora" agora, é sobre fantasmas também, conhece? 🙂

    Enfim, boa semana! :*

  16. Lara disse:

    Gostei do blog 🙂

  17. Bárbara disse:

    que tudoooo *—*
    adoreeei !
    simplismente demais.

    beeijos ;*

  18. " fantasmas não são ruins, pelo contrário, são apenas uma nova forma de sua vida passada. " sei lá, gostei demais dessa parte

  19. Anônimo disse:

    Lindo!

  20. ''Tay' disse:

    Perfeitoo !!
    Você escreve muitoo bem *-*

  21. Tania Girl disse:

    oiii
    Tem selinho pra vc no meu blog!!!
    bju

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

B r u n n a  C o r r e i a 
De todos os anos, vinte e dois invernos e uma vida inteira para concretizar tantos sonhos e anseios. De quatro estações, a mais fria é a que mais me aquece. De todas as artes, a escrita. De todos os lares, o coração.
No facebook
@brutwos
Categorias









Arquivos
Copyrights © 2009-2017 All Rights Reserved.