#1 Leituras de Julho

No inicio do ano criei uma lista de meta de livros para ler em 2017, consistia em 50 livros, mas infelizmente pela falta de tempo, ou pela desculpa da falta dele, não li nem dez da lista. Agora, na tentativa de me organizar e ler no mínimo metade, vou compartilhando a lista e resenhas dos escolhidos de cada mês. Nesse mês de Julho li três, e um deles eu não vejo a hora de postar a resenha! 

Os escolhidos de Julho são:

 

Raio de Sol – Kim Holden

“Faça épico”, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo – não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol. E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor – único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista – ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.

 

 

A rainha vermelha – Victoria Aveyard

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?

Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração

 

 

 

O discurso “Faça Boa Arte”, de Neil Gaiman

Em maio de 2012 o autor best-seller Neil Gaiman subiu ao palco da University of the Arts na Filadélfia para fazer um discurso de formatura. Durante dezenove minutos ele dividiu com os formandos suas ideias sobre criatividade, bravura e força, encorajando os novos pintores, músicos, escritores e sonhadores a quebrar as regras, pensar de forma inovadora e, acima de tudo, fazer boa arte. O discurso virou um livro, idealizado pelo renomado designer gráfico Chip Kidd, que contém o texto inspirador de Gaiman na íntegra. Seja para um jovem artista no início de sua jornada criativa, ou como sinal de gratidão para um mestre a quem se admira, ou para você mesmo, essa obra é o presente ideal para quem dá tudo de si a fim de fazer bem-feito o que faz.

 

 

 

 

Em breve RESENHAS!

 

Comente com o facebook:
De todos os anos, vinte e um invernos e uma vida inteira para concretizar tantos sonhos e anseios. De quatro estações, a mais fria é a que mais me aquece. De todas as artes, a escrita. De todos os lares, o coração. De todos os sentimentos, o amor.
Posts published: 153

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

B r u n n a  C o r r e i a 
De todos os anos, vinte e dois invernos e uma vida inteira para concretizar tantos sonhos e anseios. De quatro estações, a mais fria é a que mais me aquece. De todas as artes, a escrita. De todos os lares, o coração.

No facebook
@brutwos
Categorias









Entre em Contato

Arquivos
Copyrights © 2009-2017 All Rights Reserved.